Seguidores

sábado, 29 de agosto de 2009

Sade (!) em Chaves!!

Pois sim, primeiro Nietzsche e seguindo essa linha, Sade ou marquês de Sade. Já prevejo que os inúmeros 2 leitores do blog se revoltarão. Não que isso seja ruim, a revolta é algo bom e é diferente do ressentimento mas isso é outra história. O caso é que não é nenhum tipo de apelação , até porque este blog não precisa disso, bom, até precisa para atrair leitores mas isso não faz meu estilo, gosto do tom de descompromentimento e de liberdade para escrever o que quero. Escrevo como muitos já devem ter percebido porque gosto muito do programa, e como já disse antes, porque depois de tantos "e a filosofia" , Chaves não podia passar em branco.
Na verdade a idéia surgiu da leitura de um fórum no orkut, em que o ex episódio perdido do peludinho (o cachorrinho da chiquinha- http://www.youtube.com/watch?v=hgMrMpnJk3E), é citado. A citação era a respeito do boato do porquê o episódio ter saido do ar, por supostas insinuações de sadomasoquismo. Já no começo há uma alusão ao masoquismo mas não no sentido sexual e sim no seu significado de sentir prazer na dor, aliás a melhor piada do episódio, que tem duas músicas e poucas falas. A parte do sadomasoquismo está na brincadeira do Chaves e da Chiquinha. Não está presente na fala mas sim nos gestos que lembram aquela coisa de escravo e dominador do sadomasoquismo. Mas o que isso tem a ver com Sade? Na-da ? Digo, é o mesmo de sempre, pode ser que sim , que não, porém o mais certo é quem sabe? Mas é quase certo que não.
O termo Sadismo existe em referência ao próprio Sade e define a "perversão sexual de ter prazer na dor física ou moral do parceiro(s)" (quem duvida que vá a Wikipédia). Na época de Sade seus escritos eram algo muito provocador (com eufemismos) , sendo ele muito perseguido em seu tempo. Hoje em dia, pelo menos a parte do sadomasoquismo é bem mais tolerada (ninguém é preso por gostar. Se Sade viajasse no tempo ia ficar impressionado com suas obras sendo representadas no teatro, mas isso de viajar no tempo só acontece nos quadrinhos). Quanto a tolerância, há tolerância "pero no mucho", e tenho essa mesma opinião quanto a dita "revolução sexual" que foi mais por força das circunstâncias do que por qualquer outra coisa ( Aids, o invento da pílula e de remédios para disfunção sexual). Digo isso pela possibilidade do episódio ter sido retirado do ar, por uma suposta referência ao sadomasoquismo, e bota suposta nisso. Mas no caso de ser alguma tirada não ficarei decepcionado porque o "puro" e ingênuo foi maculado.
Apesar disso não sou muito fã daquelas redublagens com palavrôes...,você pode achar engraçado da primeira vez mas duvido que assista o mesmo número de vezes que o original.

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Comunidade no orkut

http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=93519605
(em breve mais textos, nesse mesmo blog, em algum horário e algum dia, fiquem tranquilos)

quarta-feira, 15 de julho de 2009

As pessoas boas devem amar seus inimigos (Nietzsche e Chaves !!)

"O homem do conhecimento não só deve poder amar seus inimigos, deve também poder odiar seus amigos."
(Nietzsche, em Ecce Homo)

"Acho que é bem difícil amar os inimigos, mas amar os idiotas é quase impossível"
(Seu Madruga)

Sim , quem diria ? Nietzsche (difícil escrever) e Chaves. Nietzsche (ctrl c...) , é um dos pensadores mais comentados de hoje ao lado de Marx, Freud e até Darwin. É difícil não falarem dele, citá-lo, e aqui não será diferente. Apenas um bom escritor? Auto-ajuda sofisticada? Não vou irritar os Nietzschianos aqui, meu propósito não é esse.
Bem, Nietzsche escreveu essa frase do começo, só não diz "As pessoas boas", e ainda acrescentava que devemos odiar os amigos. Sua frase tem um sentido totalmente diferente da frase que é usada no seriado. Até mesmo a noção do que seria uma "pessoa boa". No livro A genealogia da moral, Nietzsche usa de seus conhecimentos sobre Filologia (ciência que estuda as línguas sobre a perspectiva histórica, diferente da etmologia que estuda a origem das palavras).E mostra como o valor do que é bom mudou, em consequência de duas "morais" opostas . Antes a noção de bom era algo que afirmava a vida, algo ligado a nobreza, que elaborava seu conceito de "bom" a partir de si mesma, “Eu sou bom, eu sou belo, eu sou forte”. Em oposição, essa moral, cria o conceito ruim para tudo aquilo que é baixo, vulgar, plebeu.Essa é a moral dos senhores. Já a moral dos escravos nasce do ressentimento, é sempre uma reação ao que lhe vem de fora. Sendo assim seu conceito original é mal, para designar todo "não-eu" e com uma lógica surpreendente inferir: ele é mal, logo eu sou bom. Os valores do que é "bom" na moral escrava, seria a compaixão, o amor ao próximo, e o "ruim", o egoísmo. Durante longo tempo essa dupla forma de avaliar conviveu na história até a revolta dos escravos na moral, que começa com o povo judeu e segue adiante com o cristianismo, que irá consolidar a vitória da moral dos escravos como a única moral.
Pois sim , depois dessa explanação, e analizando a frase do seriado, dá pra se concluir que é uma frase cristã. Porque o conceito de pessoa boa no programa, seria ser "superior", através do amor ao seu inimigo provavelmente mau , "inferior". Além disso há o uso do "devem", "tu deves...", em Assim Falou Zaratrusta, Nietzsche usa de uma metáfora para definir certos estágios do homem, que ele chama de metamorfoses do espírito. Ele usa a figura do camelo, do leão e de uma criança. O camelo carrega um dragão, o "dragão da moral" que sempre diz: "tu deves"! Esse dragão simboliza a religião, e o camelo os fiéis. O camelo se transforma em leão quando mata-se o dragão e se passa do "tu deves", para o "eu quero". Nesse estágio o homem se encontra no niilismo, a vida perde o sentido e o porquê. Já o estágio da criança, simboliza a criação, o nascimento, o homem criando seus próprios valores.
Voltando ao episódio,nele o garoto Chaves não faz um uso apenas cristão da frase, ele conclui que se as pessoas boas devem amar seus inimigos , logo elas devem odiar seus amigos. Ele deixa de bater no Kiko, porque "As pessoas boas devem amar seus inimigos", depois ele acaba voltando atrás quando Kiko diz que é seu amigo. Além disso tem o caso de Seu Madruga que gostaria de ser "inimigo" da Angélica Maria (moça bonita, moça formosa, moça bem feita...).
Mas e a frase de Nietzsche o que quer dizer? Ela afirma que o homem de conhecimento deve amar seus inimigos. Porque nossos inimigos no "conhecimento" sempre nos instigam, provocam, nos fazem pensar e promovem nosso crescimento, enquanto os amigos devem ser odiados, pois não promovem nosso crescimento,e sim estagnação. Um viés completamente diferente do dizer:- "As pessoas boas devem amar seus inimigos".
Hoje em dia, pelo que vejo, são poucos os que seguem as duas frases, se bobear nem nossos amigos são amados. E esses amigos para serem amados tem de ter as mesmas idéias, os mesmos gostos, o mesmo pensamento. O discurso vigente é o contrário disso, é de liberdade e tolerância mas estamos longe de sermos gratos aqueles que tem opiniões diferentes das nossas.





http://escolhomecalar.blogspot.com/2007/08/as-pessoas-boas-devem-amar-seus.html
http://ocanto.esenviseu.net/metamrfe.htm
http://pt.shvoong.com/humanities/h_philosophy/373344-genealogia-da-moral/
http://bp0.blogger.com/_uBpPQ--g7ek/RbpYUIIMnbI/AAAAAAAAAAM/vE1ttP5N_jc/s1600-h/capa.jpg (Angélica Maria)

domingo, 14 de junho de 2009

Chaves é para crianças? E filosofia?

Seu Madruga- Quantos anos você tem, Chaves?
Chaves- Oito, por quê?
Seu Madruga- É que eu não entendo como é que em tão pouco tempo se consegue ficar tão burro!
Chaves- Pro senhor demorou mais?


Chaves é muitas vezes classificado como programa infantil, não que isso seja ruim. E não que o programa seja uma coisa que se diga, minha nossa! Que programa adulto! Até porque a classificação de programa adulto, geralmente acaba partindo para um outro lado na maioria das vezes. Temos exemplos aos montes na internet. Se eu digitar aqui playboy Sandy, Sexy Sandy capetinha, Playboy Francine, brasileirinhas , downloads video xxx, video da sobrinha de Gretchem, Julia Paes, Monica Matos, enfim a lista é imensa. Irá chover paraquedistas do google.(estou testando o google "analitiquis")
Mas tirando isso, Chaves era exibido em horário nobre no México, e grande parte do "infantil" do programa veio do fato de muitas crianças assistirem o seriado, o que fez com que chespirito se preocupasse mais com o conteúdo do programa. Cenas que as crianças poderiam imitar como por exemplo um episódio em que o Chaves lambe um ferro de passar, foram ficando mais raras, só ficaram os cascudos e tapas, mas em comparação com desenhos como Tom e Jerry por exemplo, Chaves é pouco violento.
Não creio que as crianças tenham dificuldade de entender uma piada do programa, porém perceber as sutilezas e inteligência dos diálogos, adimirar a simplicidade, é coisa que acontece depois de uma certa idade. O próprio Roberto Gomez Bolaños fala disso em sua autobiografia (sobre seu programa ser classificado como infantil), ele cita os quadrinhos de Mafalda do quadrinista argentino Quino que na opinião dele são dos mais geniais, e não tem nada de infantil, apesar de retratar o mundo de uma menina argentina de 7 anos.
E a filosofia? Ela ao contrário, é tida como coisa de adúlteros, digo, de adultos. É preciso bom conhecimento da língua , interpretação de textos difíceis, exige uma formação árdua, paciência, enfim nada de infantil (só o conceito que temos da palavra infantil, quando nos referimos a alguém como sendo infantil, já é um bom material para "filosofar")
Mas mesmo com toda a sua complexidade, algumas perguntas da filosofia são muito parecidas com as que as crianças fazem. Obviamente não podemos concluir daí, que a filosofia seja algo para as crianças, assim como não podemos concluir que só por retratar coisas do universo infantil, Chaves é um programa infantil. Questionar as coisas que ouvimos e as aparências , eis um bom começo para as crianças.

links:
http://www.hottopos.com/videtur15/dora.htm
http://www.urutagua.uem.br//ru26_sofia.htm
http://portal.filosofia.pro.br/filosofia-para-criancas.html

domingo, 7 de junho de 2009

Chaves e a Política 3 (o retorno)


Dona Neves: - Já chega! Isso é uma fraude! Repita comigo: "Isso é uma fraude!"
Chaves: - Isso é uma fraude!
Dona Neves: - Mas havemos de lutar!
Chaves: - Mas havemos de lutar!
Dona Neves: - Pela emancipação da classe! E em defesa dos postulados que emanam das formas estatutárias!
Chaves: - Tu.., Tutarias!
Dona Neves: - E a vitória já se adianta!
Chaves: - Anta!
Dona Neves: - E nem mesmo o salário que se achata...
Chaves. - Chata!
Dona Neves: - Deve ficar fora das coisas enquadradas!
Chaves: - Quadrada!
Dona Neves: - Essa é uma ofensa que não se dissimula!
Chaves: - Mula!
Dona Neves: - Mas havemos de lutar por nossos direitos sindicais! Fraternais! E pessoais!
Chaves: -Jornais! Animais! E... e tais.,.
Dona Neves: - E tenho dito!
Chaves; - E eu também!
(Discursos de Dona Marx digo Neves para o Proleta... digo Chaves)

Apesar de meus antigos posts sobre o assunto soarem mais como uma "desmistificação" no que se refere a Chaves e a Política, quero citar um episódio em que a política se manifesta de forma clara mas nem tanto. Como quase tudo do que se passa no programa , tudo é passado de forma sutil, bem sutil.
Não sou um saudosista até porque não tenho idade para isso (e mesmo se tivesse) , mas em meio a grande parte do humor que temos hoje em dia , vemos que hoje não há mais lugar para tais "sutilezas"(não que haja algo de errado nisso). A linha entre a apelação e a ousadia é muito tênue, embora é possível ser ousado sem apelar. Outra coisa é que nem sempre mais dinheiro e recursos quer dizer mais graça. Às vezes o segredo está na simplicidade, caso do nosso querido programa.
Esse diálogo de introdução, é dos mais engraçados e geniais do programa (numa época de certa "crise", pois, com a saída de Kiko e Seu Madruga-que retorna ao programa nos anos 80- fez-se necessário que chespirito adicionasse novos argumentos,elementos e ambientes , como é o caso do restaurante). O efeito que tem esse discurso, quando assistimos, é de riso diante das repetições praticadas pelo menino Chaves, que viram ofenças a velha carcomid... digo à Dona Florinda. Mas lendo atentamente fica claro o discurso "esquerdista-sindicalista" de Dona Neves (numa época em que ainda havia uma certa caça às bruxas , como bem lembrou o Edward, http://chaveseafilosofia.blogspot.com/2009/05/chaves-e-politica-nada-de-exaltacoes_5409.html#comments) , discurso esse, "encoberto" pelos: "Anta , chata , quadrada, mula...", não é genial?
E o genial não é porque é de "esquerda-sindicalista". Ao contrário disso, a leitura que podemos fazer do episódio em questão é que o trabalhador, no caso o Chaves , repete e papagueia discursos(pode ser tanto de "esquerda" como de "direita"), sem nem ao menos entendê-los. Dona Neves , simboliza quem se sensibiliza pela situação dos fracos e oprimidos (tá certo que ela desiste depois de ser chamada de louca). E Dona Florinda, a burguesia que acaba sedendo diante dos apelos, protestos e ameaças de fechar seu estabelecimento, preferindo perder os anéis ao invés dos dedos.
No fim há até um momento de ternura quando Dona Florinda consede o salário fixo, e meio período, para que o menino estude. Quem assiste não fica com raiva de ninguém. Genial!
Ahh,se conseguir direitos e salários melhores fosse tão simples assim...

domingo, 31 de maio de 2009

Nada de exaltações. (Girafalles e Epicuro)

-Cacuquetetinho
-Não entendo
-Cacuqueteetinho
-não compreendo
-Machuquei o dedinho!
(diálogo entre Chaves e professor Girafalles)

Nada de exaltações! Nada de exaltações! Eis um mantra para Epicuro. Epicuro filósofo grego do período helenístico (http://pt.wikipedia.org/wiki/Epicuro).
Essa frase do nosso querido professor resume bem a filosofia de Epicuro e a vida que ele propunha: -Sem exaltações. Algo impossível hoje em dia (você provavelmente pensou), bem, isso não era fácil nem na Grécia Antiga mas realmente, hoje, na pós- modernidade (ou na hipermodernidade), somos compelidos à exaltação. Trabalho excessivo, stress, trânsito, publicidade vinda de todos os meios , vendendo-nos "prazeres"...prazeres? Sim! Esse é um ponto chave do Epicurismo, o prazer. Já ouvi um ator que eu não vou falar que é o Peréio, falar que hoje em dia vivemos o Epicurismo, principalmente os jovens, todos uns Epicuristas, só vivendo pelo prazer. O entrevistador não contestou na hora , ao contrário, achou engraçado e provavelmente ficou impressionado com a cultura do seu entrevistado (só citar Epicuro já demontra uma certa cultura, mesmo que essa visão de Epicurismo,como sendo um hedonismo vulgar, não corresponda à realidade) . De fato desde quando estava vivo, havia lendas e boatos (da Dona Neves provavelmente), dizendo que o epicurismo é uma filosofia de prazer grosseiro, trivial, bestial. Antes de tudo é preciso ter claro que quando se fala que vivemos um Hedonismo desenfreado nos dias de hoje, sempre é uma referência ao Hedonismo vulgar (busca pelo prazer imediato , sem critério, sem escolha), e muitos sempre associam a palavra Hedonismo apenas ao prazer, porém evitar o desprazer é algo pouco falado, e trata-se de uma prática Hedonista.
Segundo Epicuro há prazeres que devem ser evitados: Fama e Fortuna, por exemplo. " Outros são naturais, outros são vãos de entre os naturais, uns são necessários e os outros somente naturais. Finalmente, de entre os desejos necessários, uns são necessários à felicidade, outros à tranquilidade do corpo e outros à própria vida. Uma teoria verídica dos desejos ajustará os desejos e a aversão à saúde do corpo e à ataraxia da alma, pois é esse o escopo de uma vida feliz, e todas as nossas acções têm por fim evitar ao mesmo tempo o sofrimento e a inquietação."(Epicuro, na "Carta a Meneceu").
Por fim o Epicurismo visa a Ataraxia (http://pt.wikipedia.org/wiki/Ataraxia), a qual propõe que mesmo em um ambiente desfavorável a razão deve triunfar (nem sempre nosso querido professor consegue isso em suas aulas), além de não temer a dor (nem mesmo a causada por uma ratoeira).


Links que faltaram:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Hedonismo
http://www.citador.pt/pensar.php?op=10&refid=200802190845

Quem quiser uma explicação bem mais detalhada sobre o Hedonismo recomendo o autor francês Michel Onfray.
Em "Contra história da filosofia 1-sabedorias antigas" há um capítulo inteiro dedicado à Epicuro.

domingo, 24 de maio de 2009

Chaves e a política (nada de exaltações) parte 2

-"Há coisas que faço melhor com a direita que com a esquerda"
-"Como o que por exemplo?"
-"Coçar o braço esquerdo"
(Chaves aprendendo a lutar boxe com Seu Madruga)

Mas e o Roberto Gomez Bolaños? Onde ele entra nessa história toda. Você pode pensar:- só por não ser um entusiasta do E.Z.L.N. *, não ser filiado ao partido comunista, esse doido varrido chama o criador desse fantástico seriado de conservador! Bem, bem , bem. Antes de tudo vou falar de um outro assunto, a suástica. Eu durante muito tempo não tinha reparado mas se reparerem bem (ainda mais quando se olha contra a luz) no episódio em que eles jogam futebol americano, no muro, acima de se vende, se vê claramente uma suástica desenhada(http://www.youtube.com/watch?v=n-EipvFJHZA). Não vou entrar no mérito da história desse símbolo ser muito mais antiga que o nazismo,o caso é que foi uma desatenção , um erro não calculado que não devia passar desapercebido. Mas daí a dizer que isso é alguma conspiração ou propaganda nazista é uma bobagem enorme, vide o episódio ladrão do Museu de cera(http://www.youtube.com/watch?v=o7NLJyY8n-Y),e essa bobagem foi bastante difundida pela "esquerda" do México (não é à toa que muitos não gostam de ser rotulados de esquerdistas, difícil concordar com tudo que dizem), já a direita Mexicana implica com os charutos do professor Girafalles que dizem ser cubanos, mesmo que esteja escrito made in Taubaté neles (É que em Cuba estão falsificando charutos de Taubaté)
Mas Chesperito não é visto como conservador só por suas posições políticas, que mesmo sendo discutíveis são coerentes e de certa forma "progressistas". (ele faz críticas aos métodos do E.Z.L.N., dizendo que por nenhuma causa, por mais justa que ela pareça, deve-se recorrer a violência, mas ao mesmo tempo reconhece o carisma do subcomandante Marcos e a importância da sua luta, disse que foi a favor do Nafta, e além disso rasga elogios à Gorbachov, citando a Glasnost que significa transparência e Perestroika que significa restauração,mais a frente ele diz que o capitalismo radical está a espera de seu Gorbachov ocidental e que suas medidas deverão chamar Transparency and Restoration, levando em conta o lugar provável onde surgirá esse Gorbachov Ocidental).
Bem agora vem a explicação: Roberto Gomez Bolaños é tido como conservador no México mais por sua posição em relação ao aborto (totalmente contrário à sua prática, inclusive se engajando em campanhas anti-aborto no México, por ter feito isso foi bastante criticado por lá). Por aqui isso talvez não significaria muito, pois é de conhecimento da grande maioria que a ex-senadora e atual vereadora Heloísa Helena, tida como "radical", tem a mesma posição (não sei se a posição de seu partido Psol é a mesma, já que essa é uma causa tida como de "esquerda").
Encerro essa saga com a história contada por Chespirito, no primeiro capítulo da sua biografia... ele narra como veio a este mundo:(seu tio Gilberto que era médico lhe contou) -sua mãe,grávida dele, mesmo correndo risco de morrer, se negou a fazer um aborto. Ela sobreviveu e ele também, obviamente(por supuesto).
Não que isso justifique (até porque, pelo menos aqui no Brasil, este é um caso em que o aborto é permitido, quando há o risco de morte da mãe) , mas não fosse essa corajosa decisão esse blog e principalmente o programa não iriam existir.

* Exército Zapatista de Libertação Nacional.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Ex%C3%A9rcito_Zapatista_de_Liberta%C3%A7%C3%A3o_Nacional
http://ancarlosaraujo.blogspot.com/2009/01/chaves-e-filosofia.html (achei no gugou, fonte interessante do imaginário político que cerca Chespirito)

Chaves e a Política (nada de exaltações) parte 1

-"Eu estou tão nervoso hoje que seria capaz de declarar guerra aos Estados Unidos sozinho!"
Seu Madruga

Agora vou entrar no espinhoso (para alguns) assunto política. Existe o ramo da filosofia chamado filosofia política( http://pt.wikipedia.org/wiki/Filosofia_pol%C3%ADtica) .
Bem, não creio que Chaves discuta e mostre o caminho de uma sociedade justa e ideal, ou que há qualquer mensagem política-subliminar por trás do seriado (Há a "luta de classes" entre o Chaves e o seu Barriga mas é sempre sem querer querendo, já entre o Seu Madruga e Seu Barriga só houve um esmagamento, em um único episódio). Ao mesmo tempo não desminto nada do que é falado sobre o Chaves com relação à política, pode ser que sim, que não, mas o mais correto e preciso como sempre é, quem sabe?
Vou falar aqui apenas o que eu vejo, e o que tenho conhecimento por leituras da auto-biografia do Chespirito (auto-biografia que ele mesmo escreveu), separando criador, de criatura (com licença criatura).
Muitos colegas da internet , camaradas e "afins"(não que tenha algo de errado em ser "altruísta", mas as aspas são necessárias) , me sugeriram abordar esse tema, com sugestões que eu mesmo nunca tinha me dado conta, como a Dona Florinda representando o capitalismo, ou os países ditos desenvolvidos. Eu discordo disso, pois ligo ela mais a nossa classe média (cabeça nas nuvens e os pés na merda ,crianças, leiam porcaria por favor), porque ela não é rica, mora no cortiço e na vila como todos, tem algum dinheiro a mais que os outros é verdade mas gasta tudo em impostos (aluguel), café , pirulitos e brinquedos para o filho, Kiko é a mesma coisa, ele tem o que uma criança deve ter: um lar, brinquedos e comida mas como comparado às outras crianças de seu convívio possui muito, o bochechudo acaba se achando melhor que os outros. O menino rico de verdade é o Nhonho que talvez por ter uma educação diferente do Kiko não humilhe tanto o Chaves(ele não divide sua comida mais por gulodice do que por maldade).
É inegável que o seriado expõe as desigualdades na América Latina. Se alguém aqui no Brasil em 1970 ou até mesmo hoje , tivesse a idéia de criar um seriado sobre um menino pobre que vive em uma humilde vila e que convive com um homem desempregado, que não paga o seu aluguel, ora porque não tem dinheiro para pagar, ora porque "prefere" gastar em comida , um menino mais rico que zomba da sua pobreza oferecendo comida e depois o mandando comprar entre outras coisas, seria acusado de ser subversivo ou no mínimo de esquerda.
Acontece que Roberto Gomez Bolaños que foi quem teve essa idéia não se encaixa nesse perfil, pelo contrário, ele é de certa forma "conservador", embora não seja prudente rotula-lo, ainda mais usando esse termo que por aqui sempre esteve ligado a coisa ruim.
Isso soa bem estranho mas não pra quem leu a sua autobiografia (que ele mesmo escreveu:), embora eu discorde dessa denominação de "conservador" (tanto que coloquei conservador entre aspas).
O termo direita e esquerda que falo aqui surgiu na França depois da revolução francesa e se refere originalmente aos lugares de cadeiras na Assembléia Nacional Francesa. Os mais "radicais" se reuniam à esquerda do representante que presidia os debates, enquanto os "moderados" ficavam à sua direita.
Antes de tudo é bom deixar claro que o termo conservador não se aplica somente a direita , há conservadores ditos de esquerda. Existe o chamado socialismo reacionário que consiste em idéias que propõe o retrocesso da civilização ,"voltar as cavernas" , viver em comunidade, como eram os índios por aqui. É bom lembrar que o capitalismo não existe desde sempre (lembre-se disso quando ouvir a frase:- Ah mas isso foi sempre assim, geralmente utilizada para você se conformar com a ordem das coisas), antes existiu o feudalismo, Marx inclusive escreve que a sociedade evoluiu nessa passagem do feudalismo para o capitalismo, e que o comunismo seria o próximo estágio para acompanhar essa evolução na história, portanto ele não fazia parte dos reacionários. Já Charles Fourier é um bom exemplo de socialismo reacionário com o seu interessantíssissisissíssimo socialismo erótico (muito melhor que o Jabor com sua pornopolítica)...

Continua!

sexta-feira, 15 de maio de 2009

Chaves: Anti-socrático ou burro ao quadrado

"Ai que burro , dá zero pra ele"


(Chaves, tinha que ser el Chavo del ocho)


É muito conhecida a frase de Sócrates: -"Só sei que nada sei!". Há toda uma discussão acerca dessa frase ser dogmática ou não, mas ceticismos à parte, vamos lá:
Sócrates foi considerado sábio à sua época , por causa desse princípio, que é o de reconhecer sua própria ignorância enquanto que a grande maioria quer se fazer passar por sábio. A famosa ironia socrática consistia no diálogo que ele tinha com os transeuntes atenienses, mostrando a ignorância dos seus interlocutores.
Por outro lado temos o Espequi... digo o menino Chaves, que sempre quando alguém diz algo que lhe parece errado (geralmente esse alguém é o Nhonho), solta outra frase tão famosa quanto a socrática: "-Ai que burro dá zero pra ele". E sempre que diz isso, a resposta de quem é corrigido (Nhonho) estava correta, ou seja, quem era o burro e merecia as orelhas de burro no fim era o Chaves mesmo. Imagino o encontro dessas duas personalidades , aposto que Sócrates não ia se conter e iria dizer: "Esse é burro que dá gosto", pois além de não ter consciência da sua ignorância ainda corrige os outros quando não é necessário.
Muita gente esquece o contexto dessa frase no programa e fica usando no dia-a-dia para corrigir os outros. Inclusive um programa de humor dominical, que não vou dizer que é o Pâniko(erro proposital) vem mostrando (ou mostrava) a vinheta do Chaves dizendo:" - Ai que burro dá zero pra ele." Principalmente depois de mostrarem o campeão mundial dos burros, Kiko, no programa. Tá certo que é mais pra puxar o saco dos fãs do Chaves, que são muito, mas muito mais numerosos que do programa de humor dominical (mostraram o Kiko em duas partes, na primeira foi bem claro o desprezo dos produtores do programa, e de alguns dos comediantes, pela atração, porém na segunda, eles se redimiram e se caracterizaram como os personagens do Chaves, acho que viram o quão representativo é o seriado mexicano, através da grande audiência que tiveram) .
Por fim dá para ver com isso que esse comportamento do Chaves é algo bastante comum , e há exemplos dele a todo momento. Muitos corrigem os outros e na maioria das vezes, não sabem que não sabem, e pior ainda, estão errados na correção . Fico com a segunda opção, não se tratam de anti-socráticos mas sim de burros ao quadrado.



sexta-feira, 8 de maio de 2009

Virão mais textos!

Não precisam chorar , em breve virão mais textos, fiquem tranquilos, os milhares 2 leitores do blog. Eu vou estar escrevendo , e vou estar postando , parei um pouco pois vou estar começando um novo trabalho (já devem saber de quê), melhor não especificar muito pois a empresa funciona no regime 1984 (sorria você está sendo controlado,ops, não deveria ter escrito isso).
Por falar nisso sugiro alguns temas, ligados a idéia desse blog, à pessoas que estejam mais desocupadas do que eu e quiserem desenvolver:
"Big Brother e a filosofia"
"Raul Seixas e a filosofia"
"Rogério Skylab e a filosofia"
"Orkut e a filosofia"
"Gerundismo e a filosofia"
e o incrível "Filosofia e a filosofia"
Não cobrarei direitos autorais a menos que façam sucesso.
A seguir link de Marcos Bagno , defensor dos "gerundistas" contra a "crucificação" dos mesmos, contra a "cruzada anti-gerundismo":
http://www.marcosbagno.com.br/conteudo/arquivos/for_sirio_estarndo.htm

terça-feira, 10 de março de 2009

Zenon Barriga e Pesado


- Agora eu vejo como o senhor é um homem bom. Suporta todas as injustiças. E como as suporta... Estoicamente!
- Estou o quê?
- Estoicamente... Com estoicismo!
- Ah, sim, claro.
(Diálogo entre Seu Madruga e Zen... digo Senhor Barriga, em As pessoas boas devem amar seus inimigos 1978)


Muitos devem se lembrar do nome do senhor Barriga no seriado: Zenon Barriga e Pesado(quem não lembra é só ver o episódio do velho do saco). Barriga e pesado são só apelidos, na verdade sobrenomes (em espanhol apelido quer dizer sobrenome embora os sobrenomes do "Senhor Barriga" podem ser usados como apelido, enfim...) mas vamos nos concentrar no primeiro nome Zenon e na fala no começo desse texto.
O diálogo desse episódio (As pessoas boas devem amar seus inimigos de 1978, essa frase dá outro post) acontece depois que Seu Madruga leva um tapa, como sempre acontece, e por algo que ele não fez, como quase sempre acontece. Seu Barriga presencia o fato e dá inicio ao diálogo aqui transcrito. Por que o velho Barrigão, digo Senhor Barriga, chama de estoicismo essa atitude de Seu Madruga, suportando os golpes que a vida lhe dá sem revidar?
O nome Zenon (em grego Zenão) e a referência aos estóicos é mais uma feliz coincidência (pelo menos para mim), entre a filosofia e o seriado Chaves.
Há mais de um Zenão na história da filosofia , um é o fundador do estoicismo e o outro trata-se de Zenão de Eléia que embora seja interessantississsissimo , não tratarei dele por aqui, pois não quero me estender em demasia.
O estoicismo é uma doutrina filosófica que afirma que todo o universo é corpóreo e governado por um Logos(razão) divino (noção que os estóicos tomam de Heráclito e desenvolvem). A alma está identificada com este princípio divino, como parte de um todo ao qual pertence. Este lógos (ou razão universal) ordena todas as coisas: tudo surge a partir dele e de acordo com ele, graças a ele o mundo é um kosmos (termo que em grego significa "harmonia").A partir disso surgem duas conseqüências éticas: deve-se viver conforme a natureza: sendo a natureza essencialmente o logos, essa máxima é prescrição para se viver de acordo com a razão.
(quem duvida que vá a Wikipédia)
Estóico: Diz-se daquele que revela fortaleza de ânimo e austeridade. Impassível; imperturbável; insensível.(Isso explica a fala do Zenon , digo Sr. Barriga).
A escola estóica foi fundada no século III a.C. por Zenão de Cítio (de Cittium), que preconizava a indiferença à dor de ânimo oposta aos males e agruras da vida(como ser sempre recebido com uma pancada quando for a uma certa vila). Foi bastante influenciada pelas doutrinas cínica e epicurista, além da clara influência de Sócrates.


Pode ser apenas coincidência , pode ser que não, mas o mais certo é quem sabe?

http://pt.wikipedia.org/wiki/Zen%C3%A3o_de_C%C3%ADtio

http://www.citador.pt/citacoes.php?cit=1&op=7&author=1189&firstrec=0

http://pt.wikipedia.org/wiki/Estoicismo

http://www.youtube.com/watch?v=DP9YlsHs7o8

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Episódios Perdidos X Escritos Perdidos

Silvio Santos: - Já viu os episódios todos? Sabe quantos episódios são diferentes?
Rogério: - Olha... São 250 que vocês tem aqui, né?
Silvio Santos: - Exatamente.
Rogério: - Ficam repetindo, né. E os misteriosos perdidos , cadê né?
Silvio Santos: - Como é?
Rogério: - Os episódios perdidos.
Silvio Santos: - Não. Ainda não encontramos os perdidos . Mas encontramos os novos, os desenhos.
Rogério: - Isso é bom, isso é bom..
Silvio Santos: - Já Chegaram 24 desenhos. Já viu 12. 13 aliás.
Rogério: - 26.
Silvio Santos: - Já chegaram, lá pro final do ano.
(Diálogo do extinto programa 21, um programa do SBT, lá um sonho de muitos fãs foi realizado: perguntar ao proprietário da emissora, Sílvio Santos, a respeito dos episódios perdidos .Rogério, é um gaúcho que faz imitações do Kiko, participou do programa que sempre levava alguém que sabia tudo sobre alguma coisa, faziam várias perguntas sobre o assunto que o convidado dominava e caso ele fosse bem ganhava um prêmio em dinheiro).

Muitos fãs de Chaves sabem bem do que estou falando. Tenho amigos que não são tão fãs assim mas que já ouviram falar e me perguntam sobre eles. Mas para quem nunca ouviu falar, existem episódios do Chaves que não passam mais, uns apenas passaram uma vez e depois nunca mais foram mostrados.
Há várias "teorias" de como esses episódios se "perderam". Entre elas até incêndios e inundações. O caso é que até em chamadas comerciais para o Chaves haviam trechos de um episódio perdido , além disso, no extinto programa Falando Francamente, mostraram o lendário episódio dos Espíritos Zombeteiros, portanto podemos concluir que esses episódios não foram "incendiados" nem "inundados" nem mesmo perdidos.
A lista dos ditos "episódios perdidos" é imensa porém praticamente 80% deles são primeiras versões de outros episódios que são exibidos normalmente. Tirando também as esquetes como a dos ladrôes Beterraba e Peterete (www.youtube.com/watch?v=uhyYJC1zA7I) que não são exibidos.
Uma curiosidade é a hipótese de censura de alguns episódios com cenas "não recomendadas" para crianças, pois as atitudes dos personagens poderiam influenciar o público infantil a repetir os mesmos atos, dois exemplos:

"Os Inseptos" -1ª versão: Chaves lambe o ferro quente de passar roupas

"Brincando de Atropelamento"(A cruz vermelha 1ª versão): Chiquinha coloca esmalte de unha no olho do Kiko para simular o sangue na tal brincadeira.(coisa que seria perigoso na vida real)

"Tudo isso deve-se ao fato de que Chaves a princípio não foi feito para crianças. Era um programa humorístico que ocupava o horário nobre no México e se voltava para um público adulto que atingia o horário. Mas sua popularidade e enredo atraiu também as crianças e a partir daí, Chespirito passou a tomar cuidados com a atitudes dos personagens, diálogos, o tema, e a história dos episódios ."
Fora esses dois episódios, Os Espíritos Zombeteiros citado anteriormente é um capítulo à parte. Embora seja quase certo que seu cancelamento se deve a não renovação dos direitos de exibição por parte do Sbt , dá pra ter uma idéia pelo seu conteúdo a causa, motivo, razão e circunstância de não se esforçarem tanto para renovar, dado que o Espiritismo é levado muito a sério no Brasil (há quem diga que apenas no Brasil o Espiritismo é uma religião) e o Espírita Rick Medeiros um dos poderes do SBT .
Trata-se de um episódio muito engraçado que tem até duas versões (no Falando Francamente exibiram a segunda). A história gira em torno do sonambulismo de Seu Madruga que faz os seus pratos aparecerem no barril do Chaves, como os sonâmbulos não lembram o que fazem nem Seu Madruga nem o Chaves sabem o motivo do desaparecimento e do aparecimento dos pratos, respectivamente. Eis que Dona Clotilde sugere que é tudo obra de Espíritos Zombeteiros e resolve fazer uma Sessão(acho que é assim que escreve) espírita na casa de Seu Madruga (www.youtube.com/watch?v=0JuhrqUb1iU ). Depois de tudo esclarecido Dona Clotilde conclui que isso de espíritos zombeteiros é tudo uma bobagem e que só pessoas ignorantes poderiam acreditar em tal coisa. Cada um que tire as próprias conclusões e assista o episódio (www.youtube.com/watch?v=b68U6e6lQnw ) .
Falei tanto de Chaves e quase que não falo da Filosofia. Bom na verdade esse é o único assunto em que a Filosofia é menos complexa. O que provavelmente não aconteceu com os episódios do Chaves, aconteceu com os escritos Filosóficos perdidos, grande parte deles foram perdidos por incendios, e muitos desses escritos perdidos foram incendiados pela Igreja por contrariarem suas verdades, junto com toda uma cultura pagã.


Links
www.chespiritobr.com/mundo/clubedochaves/perdidos.htm


sábado, 3 de janeiro de 2009

Os Sofistas de salto alto (Além da aritmética)


"Só me enganei uma vez em toda minha vida, quando pensei estar enganado"
Professor Inocêncio Girafalles
"Enquanto tiverem livros nas mãos serão pessoas honradas, serão gente de bem! Em outras palavras...enquanto tiverem um livro nas mãos, serão como eu!"Tibruichhh (barulho dos livros sendo jogados ao chão pelos alunos , após esse discurso do professor)

Vou falar agora de um especial personagem , especial para mim particularmente.Trata-se do professor Girafalles. Mas por favor peço que não caçoem dele por aqui, nos inúmeros comentários que as inúmeras 2 pessoas que lêem esse blog (não) fazem. Talvez a vocês o trabalho dele pareça tolo, inútil, comum, vulgar, sim, concordo! Mas é que devem levar em conta que se trata de um indivíduo sem nenhum preparo. De um pobre-diabo que é ridicularizado por um bando de meninos, de um pobre infeliz que tem toda sorte de apelidos.Deixe-me continuar... de um joão ninguém, bom...acho melhor parar por aqui... não quero elogiá-lo em público , pois tenho a estranha sensação de que estou falando de mim mesmo. Não sei o porque, ou até sei mas não vem ao caso.
Bem a aritmética...(me interromperam aqui enquanto escrevia isso, é impressionante!) digo, o termo filósofo foi utilizado pela primeira vez por pitágoras, pensador matematicista do sec VI a.C. para diferenciar os sofistas dos verdadeiros filósofos, os sofistas ensinavam os chamados sofismas, que são premissas verdadeiras levando a conclusões falsas. (Ex. Lima é capital do Peru, lima é uma fruta, logo a capital do Peru é uma fruta ou o clássico Deus é amor, o amor é cego, logo, Steve Wonder é Deus , acho que pulei algo mas a idéia é essa) Esses exemplos são bem exagerados, mas a idéia era a de ensinar a habilidade para discursos primorosos, porém, vazios de conteúdo, mais ou menos como os políticos fazem. Apesar disso e das críticas contundentes feitas pelos filósofos da antiguidade devemos reconhecer sua importância para várias coisas, como a democracia, na medida em que aceitavam a relatividade da verdade.Tanto que hoje em dia, a aceitação do "ponto de vista alheio" é a pedra fundamental da democracia moderna.
Esse ponto da relatividade da verdade é bastante discutido em filosofia hoje em dia.Muito se fala que essa idéia do relativismo gerou uma decadência na filosofia de hoje, e é bastante comum se ouvir que a filosofia tem virado um vale-tudo, já que a verdade sendo relativa, qualquer discurso é só mais um discurso, qualquer interpretação é só mais uma em meio à tantas outras, qualquer filosofia são apenas idiossincrasias (opiniões próprias) . 
Mas creio que me desviei do tema, pois o que isso tem a ver com o Tobogã de Salto Alto*? Digo com o nosso Mestre linguiça? Digo digo com o professor Girafalles? O que de semelhança há entre os sofistas e o querido professor? Talvez na-da.
Na verdade a crítica mais costumaz feita aos sofistas por Platão é o fato de exigirem pagamento por seus serviços. E é muito engraçado quando ouvimos um professor na universidade, animado e empolgado quando fala sobre essas críticas de Platão feitas aos Sofistas, pois trata-se de um professor que é pago pela universidade (e bem pago em muitos casos).Um professor não dá aulas, ele as vende! Platão era rico e possuidor de escravos, por isso podia muito bem se dar o luxo de ensinar de graça. Seria esse um sofisma, justo de um filósofo? Um elitismo dele, ao concluir-se daí que só os ricos possam ensinar filosofia?
Nosso querido professor, por outro lado, não se envergonha ao dizer que desconta os buquês de flores que dá na conta da escola.
Meu objetivo não é ser relativista aqui mas é certo que há várias opiniões e interpretações a respeito dos sofistas (muito do que eles escreveram foi perdido, e o pouco que temos de seus escritos vêm dos seus detractores, com exceção de alguns fragmentos dos próprios sofistas). Primeiro há os que os defendam falando de sua contribuição para a humanidade, depois os que os chamam de prostitutas do saber (incluídos nesse grupo alguns professores de filosofia e o próprio Platão é claro), já que vendiam conhecimento. E há ainda os que vem de forma positiva a prostituição do saber, não no sentido de se vender o saber mas em ver nos prostíbulos e na "ideia de prostituição" uma fonte rica de sabedoria. Como disse o libertino Diderot: "Meus pensamentos são minhas putas"(tirem as crianças da sala), com isso ele queria dizer que se deve fazer de suas ideias suas prostitutas, fazer da filosofia uma libertinagem do espírito, relacionando-se com todas as ideias, com todas as teses e doutrinas sem se apegar. 
Por outro lado a própria palavra sofista quer dizer sábio(depois passou a significar impostor devido às críticas de Platão), filósofo por sua vez quer dizer amante da sabedoria. Os sofistas usam da retórica para dizer que sabem conversar sobre todos os assuntos,mas quando são questionados, vemos que na maioria das vezes não sabem ao certo do que falam. Isso está na essência da filosofia quando Sócrates faz seus interlocutores se darem conta de sua própria ignorância. Seria como ir ao cinema com um amigo , e ao falar da coragem do herói do filme ser questionado sobre o que é coragem? Você diria provavelmente que é não ter medo, e ele continuaria perguntando: Mas e se pegarmos alguém com medo de altura, vendar os seus olhos e depois levá-lo a um precipício, ele seria um corajoso por não ter medo? 
Por fim podemos fazer a analogia com o Professor sendo o Sofista , que desconhece sua ignorância , que diz que nunca se engana e faz parecer que sabe tudo. As vezes porém ele é surpreendido:

Girafalles: -Os herbívoros comem vegetais, os carnívoros carne, Chaves qual é o animal que come de tudo?
Chaves: -Ricos 


* Piada adaptada ao Português, aliás muito bem adaptada, no original é tobogã de Saltillo , cidade Mexicana em que nasceu o ator que interpreta o professor Girafalles, Ruben Aguirre.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Sofista
http://www.coladaweb.com/filosofia/soc.htm
http://opensadordaaldeia.blogspot.com/2008/03/odium-fati-emil-cioran-hiena-pessimista.html
http://antoniocicero.blogspot.com/2007/12/o-relativismo-e-modernidade.html